Rebelde NET-05

Sexo é vida, acredite!

O sexo tem uma importância central em minha vida mas só comecei a me dar conta disso passados 27 anos de poucas experiências sexuais. Até essa idade eu praticamente desconhecia minha sexualidade e ingenuamente me julgava conhecedor do assunto. Mal sabia eu que estava engatinhando no sexo…

Na verdade eu era muito tímido, tinha vergonha e muito medo de sexo, não conversava com ninguém sobre o assunto, só falava sobre putarias nas rodas de amigos para aparentar que estava por dentro do assunto. Na cama, ficava muito tenso para transar, várias vezes tive ejaculação precoce, sentia pouco prazer e geralmente só rolava se fosse de luzes apagadas. O impressionante é que eu considerava isso normal, não abria o jogo com ninguém sobre minha vida sexual e não tinha referência nenhuma sobre uma sexualidade legal ou orgasmo. Durante todo esse tempo eu achava que orgasmo era sinônimo de ejaculação, que gozar era o auge do sexo e ponto, não havia mais nada além disso.

Somente quando comecei a fazer terapia é que realmente pude experimentar o prazer, os momentos de amor e todo o barato que existe no sexo. Descobri que até aquele momento o sexo era muito mais uma descarga da excitação para eu me sentir aliviado, do que uma fonte de prazer, energia e preenchimento.

Nessa época tive uma experiência que foi marcante, eu havia começado um relacionamento e estava apaixonado, quando nos encontrávamos na cama era como fogo e gasolina, nunca havia experimentado tanta energia. Era aniversário dela e estávamos muito empolgados, cheios de tesão. Quando fomos transar, pela primeira vez tive a sensação de perda de controle do tempo e do meu corpo, estava sentindo tanto prazer com ela e não tinha controle da situação, somente deixava rolar. Ao mesmo tempo sentia um amor por ela, por estarmos juntos e curtindo aquele momento. O dia amanheceu e estávamos transando, lembro da luz do sol entrando pela janela e a gente sorrindo, esse momento ficou marcado em mim.

Anos depois, vivi uma nova experiência marcante. Eu já havia experimentado momentos de muito prazer, mas o que rolou naquele dia ficou sendo uma referência de um orgasmo. Estava já em outro relacionamento e fomos passar as férias na praia. Logo que chegamos a noite estávamos meio de bronca, eu não estava bem emocionalmente mas não quis falar nada, fiquei na minha. Pela manhã ela veio querer transar e eu brochei; então começou a discussão até que eu fiquei irado, comecei a berrar e a bater nos travesseiros e depois chorei muito. Depois disso nos abraçamos e ficamos um tempo deitados, até que comecei a sentir um tesão e fui pra cima dela. Transamos umas duas horas, meu corpo estava com muita energia e a gente sentia muito prazer, gritávamos e riamos. Então em um momento senti meu corpo muito leve, solto e uma sensação totalmente diferente, parecia que eu estava mergulhando num mar de prazer e minha cabeça parou de pensar por alguns instantes. Lembro de parar a transa e ficar sentindo aquele espaço diferente, como se estivesse em outra atmosfera. Nos levantamos e fomos ver o mar da sacada e tudo parecia diferente, as cores mais vivas, o movimento das árvores mais harmonioso e me sentia muito apaixonado por ela, como se não existisse mais nenhum problema na vida.

E numa outra situação, senti durante o sexo um momento de amor muito forte por minha parceira, que também foi diferente de todas as experiências anteriores. Durante a transa eu senti vontade de ter um filho com ela. Foi uma sensação unica, sentia muita confiança e carinho por ela e uma sensação muito boa dentro de mim, de estar feliz e em paz comigo. Ainda nao tenho filhos, mas depois desse encontro essa vontade cresceu e tem mudado minha vida, tenho buscado condicoes materiais e amadurecimento emocional como homem para viver essa nova experiencia.

Enfim, o sexo tem me dado tanta vida e novas descobertas, que só foram possíveis porque deixei de continuar vivendo minha sexualidade como aquele cara de 27 anos inexperiente, reprimido e medroso. Dificuldades? Sim, ainda existem, mas ja nao me dominam e me fazem acreditar que cheguei ao fim da linha.

por Jeeval