Rebelde NET-07

Em busca do prazer

Na minha vida tudo estava certo. Tinha um bom emprego com uma profissão promissora e que pagava bem, me esforçava muito, estava fazendo uma pós ao mesmo tempo, morava com os meus pais (afinal é mais barato e não precisava de me preocupar com comida, roupa, limpeza), tinha um bom carro, uma internet rápida e dinheiro para comprar a maioria das coisas que queria, uma vida quase perfeita

Eu só não entendia porque me sentia insatisfeito, porque que estava com cara de cu, mesmo com tudo o que tinha. Me achava meio louco por sentir isso.

Não entendia, até descobrir a meditação ativa do Osho e a bioenergética. No Namastê Lisboa em 2014 fiz a minha primeira sessão de bioenergética onde eu senti um prazer inimaginável. Um formigamento e uma vibração em todo o meu corpo (até na ponta do meu nariz e das minhas orelhas) e uma paz, um silêncio fantasticamente prazeroso no meu corpo. Me lembrei que sentia isso em criança, que fazia muito tempo que eu não sentia algo assim.

Nessa mesma época, eu fiz a minha primeira meditação AUM, onde um dos exercícios é rir. Nesse exercício eu comecei a tossir muito e forte, não conseguia parar, senti uma grande tensão dentro do meu corpo, doía muito, não tinha como rir. As pessoas a minha volta riam forte e era muito contagiante, sabes aquele riso que vem de dentro, que vem com muita força e que não consegues controlar? Pois é, quantas vezes tu ri assim?

Eu simplesmente não consegui rir. Com toda a tensão que eu carregava no meu corpo, como é que eu poderia dar uma gargalhada ou sentir prazer na minha vida?

As minhas transas eram uma desgraça, gozava nos primeiros 2-5 minutos. Só conseguia transar no segundo round e olha que se aguentasse 10-15 minutos já era muito, e a mulher não podia gemer muito, senão… puf!

Li na internet e experimentei das mais diversas técnicas, livros digitais, “pacotes mágicos”, exercícios, de masturbação para poder “aguentar” mais. Li muita porcaria e é baseado em negócio, não ajudou, face-to-face com uma mulher o resultado foi a mesma bosta. “Premature ejaculation” (ejaculação precoce) era a palavra mais pesquisada e a que mais me frustrava e me angustiava. Eu não partilhei o meu problema com ninguém, nem com nenhum homem. Eu não contei para não ser zoado, era como se tivesse assumindo que sou menos homem porque não conseguia dar prazer a uma mulher. Eu me enganei, achando que a transa não era importante na minha vida, ou que ter as transas de merda que eu tinha não afetava a minha vida. A real é que eu me sentia uma grande bosta na cama… na minha vida tu acha que eu ia me sentir como?

Eu olho para trás e dou graças a deus que eu conheci o Namastê e todo o trabalho que se faz aqui. A bioenergética e o processo Pai e Mãe foram essenciais na minha vida, senão eu seria uma bosta na cama até agora.

Aumentei o tempo da transa drasticamente, a transa agora dura mais de 2 horas, as vezes até mais. Eu não tinha ideia nem sequer imaginava que podia ter tanto prazer na transa. Eu choro, eu rio, eu sinto o meu corpo como nunca antes tinha sentido. O meu corpo fica cheio de energia, as mãos, braços e ombros ficam cheios, inchados nem parece que são meus, o corpo fica leve e me sinto forte. Vem um tesão pela vida indescritível, de ler o livro que não li, de abraçar muito quem não abracei ainda, de fazer o que não fiz ainda, de beijar quem não beijei, de viver o que não vivi… Essa sensação no dia seguinte ela não passa, continuo sentindo toda essa tesão, leveza, prazer e calor no meu corpo.

Para poder sentir isso, tem que haver uma transformação, uma vontade tua de mudar. Eu me puxei pra caralho. Tenho muitos amigos que se puxam e me puxaram muito também, a maioria é do Namastê, sou muito grato a todos eles.

Meditei, fiz muita bioenergética, fiz o Pai & Mãe e continuo fazendo bioenergética. O Pai & Mãe é algo incrível que existe neste mundo, graças ao Milan e aos terapeutas do Namaste o trabalho esta’ evoluindo e bombando cada vez mais!

Eu fui e estou atrás do meu prazer na vida. Não é por acaso que eu deixei a grande Lisboa e me mudei para Porto Alegre, na comunidade Osho Rachana. Aqui na comunidade Osho Rachana, junto com os meus amigos eu me trabalho como pessoa e também consigo desfrutar das coisas simples da vida, como um banho de lago, sauna, futebol pegado, conversas calorosas, boas gargalhadas, dança, meditação. Se não tivermos essa tesão e esses prazeres da vida, me fala, qual é a graça desta vida?

por Amir